Últimos Posts:

Últimos posts

quarta-feira, 22 de agosto de 2012

Julgamentos

As vezes alguém simplesmente nos tomou algo de empréstimo, sem devolução, e já nos lançamos a precipitados julgamentos contrários a uma situação, com cargas mentais derruidoras, condenando nosso irmão aos horrores das chamas destruidoras, como se foramos nós mesmos os legítimos juizes, como se foramos perfeitos, achando-nos no direito de julgar uma alma, uma consciência.

Quem somos nós?

Somos criaturas perversas que vagueiam pelo universo, errando entre um e outro estágio, entre uma e outra encarnação.

Todavia, perdemos a magnitude da vida e criamos nossos próprios valores dentro do nosso próprio mundo, dentro do nosso próprio ser, que sem dúvida trilha ainda um caminho de imperfeição.
 

Cabe-nos hoje, nessa vida que procuramos dentro de nós, procurar entender o que é mais difícil entender.

E por não o entendermos, emanamos correntes poderosas contra nossos irmãos, almejando seu maior rebaixamento, que eles se percam na vida, fazendo marcar que pretendemos ser os donos da própria vida, como se Deus não tivesse o poder de abarcar seu olhar onisciente também aos pequeninos.
 

Todas as vezes que emitimos correntes mentomagnéticas de escalão inferior, e a direcionamos a um irmão necessitado, acreditando-o um inimigo em quem depositamos todo o mal, há uma canalização de força poderosa para os espíritos que ainda permanecem na escuridão do Além.

Quem somos nós para lançar julgamento sobre alguém?

Quem somos nós para querermos aniquilar a saúde de algúem?

Que autoridade moral temos para até levar uma criatura ao desencarne por emissão de correntes mento magnéticas de baixo escalão, aniquilando consciências?
 

O homem deve saber que por cima da justiça terrestre baila uma ordem perfeita, uma justiça divina, tão mais apropriada a consertar as infrações humanas.

Trechos do livro Medicina do Além, de João Berbel, pelo espírito de Ismael Alonso.

Como diz o texto, com que moral podemos julgar o próximo se somos possuidores de tantas falhas morais?

Quando o ser humano começar a olhar para si próprio, perceber seus defeitos e começar a corrigi-los, perceberá a grandiosidade na bondade divina e aprenderá que somos todos irmãos e perderá a vontade de olhar para o próximo com olhos de maldade.

A mudança interna é um processo necessário e urgente.

Somente assim, o homem caminhará rumo a evolução.

Luz e Paz a todos!

segunda-feira, 13 de agosto de 2012

Começar agora

Diariamente fazemos planos, escolhemos metas, decidimos nos tornar melhores, ajudar mais aos outros, entre tantas outras coisas.

Entretanto, na maioria das vezes não saímos do campo da teoria.

Vamos começar hoje a colocar em prática tudo isso!

Vamos começar hoje mesmo a tratar daquela nossa séria imperfeição moral.

Vamos começar hoje mesmo a nos desapegarmos das coisas materiais.

Vamos começar hoje mesmo a sermos mais úteis ao próximo.

Não sabemos quanto tempo ainda temos nesta escola chamada Terra. Não desperdicemos nosso precioso tempo, do qual deveremos prestar contas mais tarde.

Pois que a reencarnação é uma bênção, é a iluminada oportunidade de corrigir tudo aquilo que deixamos pendente nas nossas centenas de vidas anteriores.

Comecemos então hoje mesmo o exercício diário de nos questionarmos ao fim do dia:

- O quê fiz hoje de bom?

- O quê fiz hoje de útil?

- Que erros cometi neste dia? Como posso corrigi-los?

- O quê deixei de fazer?

E esforcemo-nos para ter cada vez dias mais produtivos.

Assim, com certeza estaremos colocando em prática todos esses planos e metas.

quarta-feira, 1 de agosto de 2012

O tempo e o uso que fazemos dele - parte II

Hoje, conversando com um dos meus melhores amigos, ele me diz o seguinte:
"Quando somos crianças, temos tempo e energia, mas não temos dinheiro.
Quando somos adultos, temos dinheiro e energia, mas não temos tempo.
Quando somos idosos, temos tempo e dinheiro, mas não temos energia."


E destas palavras da sabedoria popular, começamos a refletir sobre o assunto.

Sendo assim o tempo tão escasso, principalmente atualmente, acaba tornando-se muito valioso.

Como é bom chegar em casa, após o trabalho e deparar-se com a esposa cheia de amor! Aqueles que tem filhos, brincarem com as suas crianças!

Como é bom passar alguns momentos com os amigos, divagando em conversas nostálgicas ou sobre as últimas novidades!

Como é bom ler um livro, ver um filme, assar um churrasco ou até mesmo organizar a bagunça!

Como é bom almoçar todos os dias com aquele mesmo colega de trabalho que se tornou um amigo tão fiel!

Nessa era de escassez de tempo, esses pequenos lazeres do dia-a-dia tornam se tão maravilhosos! São essas pequenas coisas, que repletas de tanto valor, fazem um homem sentir-se realizado. São essas pequenas doses diárias e constantes de felicidade que nos trazem a sensação de que nada mais nos falta.

Mas aqueles que utilizam a quase totalidade do seu tempo para acumular riquezas, empilhar tesouros, estes estão sempre infelizes. Sempre precisam de mais e mais. Esquecem que a riqueza não preenche o vazio da alma.

Porque a felicidade nunca está do lado de fora, ela vem somente de dentro de nós.

E quanto mais percebemos essa realidade, mais contemplamos a sabedoria de nosso Criador, que nos une em famílias, em grupos, em sociedades, nos propondo a convivência com nossos semelhantes como forma principal de aprendizado e melhoria interna.

Paz e luz!