Últimos Posts:

Últimos posts

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

O valor da vida

Quando olhamos somente pelo lado material, chegamos à conclusão de que a vida é uma só e deve ser aproveitada ao máximo.

Pensamos que abreviar a vida de um moribundo é lhe prestar um favor.

Pensamos que eliminar um criminoso é beneficiar a sociedade.

Pensamos que não há mal nenhum em impedir o nascimento de um feto.

Nos deixamos levar pela filosofia "só se vive uma vez" e nos entregamos à todo o tipo de loucuras.

Nos convencemos de que caso a nossa vida esteja ruim demais, dar um fim a ela por consequência dará um fim aos nossos problemas e sofrimentos.

Não passam de equívocos.

Não somos corpos, somos espíritos. E enquanto cada corpo só vive uma vez, nós, enquanto espíritos, somos imortais.

Cada encarnação é uma oportunidade de progredirmos em nossa jornada evolutiva, saindo da ignorância rumo à perfeição. Saindo do caos rumo à felicidade plena.

Mas isso só é possível quando fazemos de cada encarnação um degrau. É comum cometermos o erro de nos mantermos numa repetição sem fim dos mesmos atos, encarnação após encarnação. Endurecidos pelos nossos vícios e falhas morais, nos prendemos nesse ciclo difícil de romper.

E é por isso que a vida é tão preciosa. Porque a cada encarnação temos a chance de fazer um novo começo. A cada dia temos a chance de recomeçar. O passado está feito e não pode ser mudado, cedo ou tarde teremos que enfrentar as suas consequências. Mas hoje, hoje pode ser diferente, amado leitor.

Hoje pode ser o dia em que começamos a escrever um futuro diferente.

E é justamente por isso que não podemos abreviar a vida do moribundo, nem eliminar o criminoso, nem impedir o feto, nem viver imprudentemente, nem suicidar-nos. Porquê não sabemos qual dia será o dia da mudança.

Enquanto houver vida, há esperança!

Talvez será no último minuto de vida que o moribundo fará as pazes com seus familiares. Talvez será no último minuto em que o criminoso irá arrepender-se de seus atos. Talvez será no próximo minuto em que a vida triste do suicida dará uma virada de 180°.

E isso é ótimo! Porque esse tempo não será perdido. É mais um degrau que se sobe no caminho da evolução. Talvez será esse o momento do despertar, onde esse irmão começará a sair do ciclo vicioso em que se encontra e iniciará um novo ciclo de mudança interior, senão nesta encarnação, na próxima.

O melhor dia para deixar o ontem para trás e começar um novo amanhã é sempre HOJE!

Que tal começar a amar, a perdoar, a ajudar HOJE mesmo?

Hoje é um bom dia para parar de mentir.

Hoje é um bom dia para pedir perdão para quem magoamos.

Hoje é um bom dia para largar um vício.

Hoje é um bom dia para oferecer nossa a ajuda a quem precisa.

Hoje é um bom dia para nascer um novo eu. Um novo eu que quer ser diferente e feliz. Um novo eu que não aguenta mais as mesmas coisas, a mesma infelicidade, o mesmo vazio interior.

"Eu sou capaz, eu tenho coragem e com a ajuda de Deus, eu vou conseguir!"

terça-feira, 15 de novembro de 2016

O quê tenho feito da minha vida? Qual é o meu papel no mundo?

Após um período de recesso, o nosso blog retorna com força total, trazendo as reflexões e ensinamentos necessários à nossa jornada.


O fim do ano se aproxima, e com ele surgem os questionamentos sobre o que fizemos durante o ano, e o que deixamos de fazer.

Será que aquelas metas de ano-novo foram cumpridas? Ou mais uma vez ficamos só nas promessas?

Mas enquanto que normalmente estes objetivos são de coisas pequenas, queremos trazer hoje duas reflexões importantes:


1 - O quê tenho feito da minha vida?

Às vezes é necessário parar e realizar esse auto-questionamento.

Começamos pensando nos tempos recentes, todos os amores, trabalhos, amigos, aventuras, bem como nas decepções e nas tristezas que nos afligiram.

Em dado momento, esse pensamento nos levará até a infância, onde éramos aqueles pequenos seres ainda inocentes, cheios de sonhos e de esperanças.

O que aconteceram com aqueles sonhos? Se realizaram? Continuam pendentes? Mudaram? E por quê?

O que havia de bom em mim que continua em mim? E o que havia de bom em mim que não há mais? O que há em mim que me incomoda?

Todos esses são questionamentos necessários para chegarmos em uma conclusão mais importante:

Eu gosto de quem me tornei? Eu gosto da vida que tenho?

Muitas coisas acontecem durante a nossa vida, o nosso crescimento, e por vezes perdemos a nossa essência, ou deixamos aquela chama dentro de nós se apagar. Nos tornamos tristes e conformados com a tristeza.

Mas sempre há tempo para mudar.

Porque só quando mudarmos e nos tornarmos verdadeiramente felizes é que poderemos passar para a próxima questão:


2 - Qual é o meu papel no mundo?

O papel de qualquer pessoa que se entitule "de bem" é o de promover a bondade no mundo.

Independente de crenças, quem é do bem tem o papel de promover o bem. E não vá pensando que existe o time do "mais ou menos"...

Mas como vou promover o bem, o amor, e a paz no mundo se não tenho isso na minha vida?

Como vou colaborar com a construção de um mundo melhor se não consigo nem construir uma vida melhor para mim?

É por isso que precisamos encontrar primeiro o caminho do auto-amor, da paz interior, da auto-realização, para que só então, quando nos tornarmos íntegros e felizes, possamos ser arquitetos de um novo mundo.

Se eu tenho paz, amor e bondade dentro de mim, isso se irradiará para tudo e todos que me cercam. Ao cultivamos em nossa vida somente coisas boas, nos cercamos de uma atmosfera saudável, que não só nos beneficia como beneficia ao próximo.

Não gosta de como o mundo é? Então faça na sua vida a mudança que você que ver no mundo!

E assim, poderemos todos unir nossas forças para criar um novo amanhã.


Textos que complementam este post:

- Felicidade e infelicidade relativas (Leitura muito importante!)

- O ser humano e o mundo de ilusões

- Onde está a felicidade?

- Felicidade e conscientização


Até a próxima!