Postagens

Mostrando postagens de Agosto, 2013

Imagine

Imagine se todas as pessoas dissessem: bom dia!

Imagine se todas as pessoas dissessem: obrigado!

Imagine se todas as pessoas perguntassem: como você está hoje?

Imagine se todas as pessoas ouvissem o que você tem a dizer.

Imagine se todas as pessoas sorrissem e abraçassem mais.

Imagine se todas as pessoas perdoassem mais.

Imagine se todas as pessoas fizessem mais favores.

Nosso mundo não seria um pouco melhor?

Não podemos garantir que os outros façam isso, mas podemos nós fazer a nossa parte.

É muito fácil quando estamos em um bom dia.

O desafio começa quando tentamos fazer tudo isso mesmo naqueles dias em que estamos irritados e tudo dá errado.

Possível é.

Vamos tentar?

Expectativas

Cada ser humano é diferente, tem pensamentos, opiniões, personalidades e caráter, enfim, tudo diferente de cada um de nós, logo como queremos que as outras pessoas pensem igual a nós?

Daí surgem as decepções, as expectativas frustradas.

Devemos sempre aceitar o outro com suas opiniões e sempre será um erro tentar mudar o outro ou querer que ele pense igual a nós.

É um erro clássico que cometemos sempre.

Somente assim, aceitando o próximo com suas opiniões, que realmente aprenderemos a amar o outro como a nós mesmos.

As pessoas não mudam pq a gente acha que estão erradas, elas só mudam se querem e quando querem.

A real finalidade de nossa vinda nessa vida é para corrigir nossas falhas morais e aperfeiçoarmos nossa virtudes.

Vamos deixar de ver os defeitos do outro e começar a olhar pra dentro de nós mesmos!

Vamos começar as mudanças em nós a partir de agora!

Perda de entes queridos

Todos um dia daqui partiremos.

Faz parte do ciclo natural.

Viemos à Terra sucessivas vezes para o nosso aprendizado e aprimoramento, assim como um aluno vai sucessivos anos à escola, a fim de adquirir novos conhecimentos e experiências.

Do mesmo modo que a escola não representa a vida real do estudante, a vida na Terra também não é a nossa vida real.

Deus nos criou simples e ignorantes, para que nós mesmos aprendêssemos através de nossas experiências. Desse modo, passaríamos pela mais incrível variedade de situações, aprendendo a distinguir o certo do errado e desenvolvendo nossa inteligência e nossas virtudes.

O convívio com nossos irmãos de jornada faz com que desenvolvamos nossos laços de afetividade, de empatia e de amor.

E nesse ciclo de idas e vindas, encarnações e reencarnações, seguimos repetindo a fórmula, almejando um dia chegar à perfeição.

Enquanto esse dia não chega, ainda temos coisas a corrigir em nós: falhas morais, apegos, mágoas e arrependimentos. Mas a cada dia temos a opo…

Reflexão sobre o texto "A chama sagrada"

Recebi a poucos dias este texto, que achei muito interessante. É uma parábola da qual podemos tirar várias lições. Como de costume, segue o texto e depois o nosso comentário:

"Os anjos, arcanjos e querubins mais elevados na escala angélica estavam começando a ficar preocupados com a situação trágica do nosso mundo. A humanidade passava por muitas guerras, fome, doenças, sofrimento, desespero e vazio espiritual. Foi então que decidiram recrutar anjos iniciantes para dar conta de realizar todo o trabalho do plano divino na Terra. Mas antes de estrear suas tarefas nas plêiades angélicas do bem, os anjos nascentes deveriam passar por uma prova a fim de demonstrarem suas capacidades. Analogamente aos estudos humanos, uma espécie de prova final para poder cursar a série seguinte.

Um dos anjos iniciantes deveria então atravessar uma provação, uma iniciação ao reino angélico, que o faria galgar ao status de Anjo do Senhor. Ele estava ansioso por se tornar logo um anjo e começar sua jornad…

Felicidade e infelicidade relativas

Esse é o nosso primeiro estudo depois do ciclo de estudos das leis morais. O tema é muito oportuno e adere perfeitamente ao estudo que estávamos realizando. Vamos às questões e depois ao comentário:

"920. O homem pode gozar na Terra uma felicidade completa?

— Não, pois a vida lhe foi dada como prova ou expiação, mas dele depende abrandar os seus males e ser tão feliz, quanto se pode ser na Terra.

921. Concebe-se que o homem seja feliz na Terra quando a Humanidade estiver transformada, mas, enquanto isso não se verifica, pode cada um gozar de uma felicidade relativa?

— O homem é, na maioria das vezes, o artífice de sua própria infelicidade. Praticando a lei de Deus, ele pode poupar-se a muitos males e gozar de uma felicidade tão grande quanto o comporta a sua existência num plano grosseiro.

Comentário de Kardec: O homem bem compenetrado do seu destino futuro não vê na existência corpórea mais do que uma rápida passagem. É como uma parada momentânea numa hospedaria precária. Ele se con…

Estudo das leis morais - Parte 13: Perfeição moral (parte 2) [Final]

Com o texto de hoje, encerramos o maravilhoso estudo das leis morais. Espero que tenha sido proveitoso para todos. Vamos às questões, e após, à conclusão:

"913. Entre os vícios, qual o que podemos considerar radical?

— Já o dissemos muitas vezes: o egoísmo. Dele se deriva todo o mal. Estudai todos os vícios e vereis que no fundo de todos existe o egoísmo. Por   mais que luteis contra eles, não chegareis a extirpá-los enquanto não os atacardes pela raiz, enquanto não lhes houverdes destruído a causa. Que todos os vossos esforços tendam para esse fim, porque nele se encontra a verdadeira chaga da sociedade. Quem nesta vida quiser se aproximar da perfeição moral deve extirpar do seu coração todo sentimento de egoísmo, porque o egoísmo é incompatível com a justiça, o amor e a caridade: ele neutraliza todas as outras qualidades.

914. Estando o egoísmo fundado no interesse pessoal, parece difícil extirpá-lo inteiramente do coração do homem. Chegaremos a isso?

— À medida que os homens se e…

A tempestade no copo dágua

O ser humano tem a tendência de complicar as coisas. Gostamos de super valorizar os problemas e situações de conflito.

Quando passam tragédias na televisão, fazemos questão de falar muito sobre elas.

Quando algo dá errado em nossa vida, reclamamos aos quatro ventos.

Quando alguém nos diz algo que não gostamos, já é motivo suficiente para criar um ódio mortal.

Pobres seres, o que será de nós? Porque alimentamos tanto o caos? Porque não damos o mesmo valor quando vemos uma pessoa fazendo uma boa atitude?

Mas tudo se resume naquela velha metáfora do copo com água pela metade. Pode estar metade cheio ou metade vazio, dependendo de quem o vê.

Nossa conduta pessimista, imediatista e egoísta faz com que valorizemos em excesso os problemas da vida.

O espiritismo nos esclarece que todas as situações de problemas e conflitos são necessárias para o nosso aprendizado. Algumas vezes são expiações, em outras podem ser provas, mas sempre devemos procurar passar por elas da melhor maneira possível. I…

Estudo das leis morais - Parte 12: Perfeição moral (parte 1)

Como conclusão do estudo das leis morais, temos o capítulo sobre a perfeição moral. Devido à extensão do tema, dividiremos em duas partes. A leitura é muitíssimo esclarecedora, assim como todo o estudo das leis morais.

"893. Qual a mais meritória de todas as virtudes?

— Todas as virtudes têm o seu mérito, porque todas são indícios de progresso no caminho do bem. Há virtude sempre que há resistência voluntária ao arrastamento das más tendências; mas a sublimidade da virtude consiste no sacrifício do interesse pessoal para o bem do próximo, sem segunda intenção. A mais meritória é aquela que se baseia na caridade mais desinteressada.


894. Há pessoas que fazem o bem por um impulso espontâneo, sem que tenham de lutar com nenhum sentimento contrário. Têm elas o mesmo mérito daquelas que têm de lutar contra a sua própria natureza e conseguem superá-la?

— Os que não têm de lutar é porque já realizaram o progresso: lutaram anteriormente e venceram; é por isso que os bons sentimentos não lhe…