Postagens

Mostrando postagens de 2013

Desejando paz no Ano-Novo - mas o que é paz?

Neste momento de transição de um ano para o outro, todos vestem-se de branco e desejam a paz.

Mas o que é a paz?

Dirá a grande maioria: é não ter problemas.

Será que é possível viver sem problemas?

Quando olhamos por nossa visão materialista e limitada, pensamos que ter paz é não precisar fazer nada, nenhum esforço: nem físico, nem mental. Todos os problemas exigem esforços de nós, então não ter problemas seria a paz. Mas isso não é paz, é estagnação e preguiça.

A paz não vem de fora, ela deve vir de dentro.

A paz é um estado de espírito. Ela não se refere a como as coisas me afetam, mas sim a como eu deixo as coisas me afetarem.

Vivemos em um mundo cercado de desafios a serem superados, problemas a serem resolvidos, projetos a serem executados e mais um turbilhão de coisas. Torna-se portanto impossível viver sem ser bombardeado pelo ruído que nos circunda.

Dirão os espertos: basta ir viver isolado no meio da floresta, então teremos paz. Mas não percebem que desse modo padecerão pela s…

Feliz Natal!

Feliz Natal!

Que neste natal não falte na sua ceia:

- Uma grande quantidade de caráter, servido em porções quentinhas.

- Muitas garrafas de perdão, para o momento do brinde.

- Uma saladinha de compaixão e piedade, para acompanhamento.

- Aquele doce de humildade que é maravilhoso.

- O prato principal, aquele amor gigante e douradinho, recheado com uma miscelânea de ternura e paciência.

- E na troca de presentes, várias caixas com benevolência, tolerância, cordialidade, respeito e bom humor.

São os votos da equipe Aprendizes da Vida Eterna!


Em tempo, caso ainda não tenha lido, leia a reflexão sobre as festividades de final de ano no mundo contemporâneo .


A felicidade não é deste mundo

"20 – Não sou feliz! A felicidade não foi feita para mim! Exclama geralmente o homem, em toda as posições sociais. Isto prova, meus caros filhos, melhor que todos os raciocínios possíveis, a verdade desta máxima do Eclesiastes: “A felicidade não é deste mundo”. Com efeito, nem a fortuna, nem o poder, nem mesmo a juventude em flor, são condições essenciais da felicidade. Digo mais: nem mesmo a reunião dessas três condições, tão cobiçadas, pois que ouvimos constantemente, no seio das classes privilegiadas, pessoas de todas as idades lamentarem amargamente a sua condição de existência.

Diante disso, é inconcebível que as classes trabalhadoras invejem com tanta cobiça a posição dos favorecidos da fortuna. Neste mundo, seja quem for, cada qual tem a sua parte de trabalho e de miséria, seu quinhão de sofrimento e desengano. Pelo que é fácil chegar-se à conclusão de que a Terra é um lugar de provas e de expiações.

Assim, pois, os que pregam que a Terra é a única morada do ho…

Os inimigos internos

Gosto muito do Dalai Lama (Tenzin Gyatso) , pois além de sua ótica budista e humanista, ele sempre procura falar em termos que qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, possa compreender.

Estou relendo um livro onde o Dalai Lama é entrevistado e questionado sobre os mais variados temas. E é incrível como os ensinamentos budistas que ele professa coincidem com tudo o que debatemos aqui no blog.

Em especial, a resposta abaixo me chamou atenção, não só pelo seu conteúdo, mas pela simplicidade em que ele explica algo tão complexo. Somente uma alma tão elevada pode falar tanto em tão poucas palavras:

"Entrevistador: Nós em geral pensamos da outra forma. Não queremos ver nossos próprios erros, mas podemos falar sem fim sobre as más qualidades dos outros. É o que Jesus também quis dizer com a seguinte metáfora: "Ou como dirás a teu irmão: 'Deixa-me tirar o argueiro do teu olho', quando tens uma trave em teu próprio olho?'' É assim que o "irmão" se t…

O que você tem feito para melhorar a sua vida?

Nosso blog surgiu para ser um canal de estudos, mas não se deteve a isso: hoje não só temos estudos, mas principalmente reflexões.

Porque não queremos recriar ou revisar a Doutrina Espírita. Esta já está nos livros, esperando para ser estudada e compreendida. O que propomos aqui é que cada um entenda esses ensinamentos e os traga para sua vida, buscando colocar em prática tudo o que aprende de bom, útil e construtivo.

Este ano foi bem ativo para o blog, falamos sobre diversos temas, fizemos um estudo sobre as leis morais e tentamos, na medida do possível, fazer duas postagens semanais.

E todos esses temas e reflexões que vieram à tona durante este ano, não são para serem lidos e guardados. São para nos tornarem melhores. Mas para isso, é necessária a nossa dedicação.

Eu sempre digo e repito: enquanto usarmos sempre as mesmas fórmulas, obteremos sempre os mesmos resultados.

Muitas vezes, temos medo de entrar no desconhecido. Eu mesmo passei por isso durante muito tempo, até o momento e…

Escolha das Provas

Muitas pessoas reclamam de suas vidas e das dificuldades que passam. Culpam a Deus por todas as suas misérias. Entretanto, não percebem que é o próprio homem que faz o seu destino, seja através de seus atos, seja através de suas escolhas.

Este capítulo sobre a escolha das provas é muito esclarecedor, com respostas importantes para estes questionamentos. Apesar de longo, vale a leitura.

Destacaremos algumas partes, para dar maior ênfase:



"258. No estado errante, antes de nova existência corpórea, o Espírito  tem consciência e previsão do que lhe vai acontecer durante a vida?

— Ele mesmo escolhe o gênero de provas que deseja sofrer; nisto consiste o seu livre-arbítrio.


258. A) Não é Deus quem lhe impõe as tribulações da vida, como castigo?

— Nada acontece sem a permissão de Deus, porque foi ele quem estabeleceu todas as leis que regem, o Universo. Perguntareis agora por que ele fez tal lei em vez de tal outra! Dando ao Espírito a liberdade de escolha, deixa-lhe toda a responsabilidade d…

Reflexão sobre as festividades de final de ano no mundo contemporâneo

É chegado o tempo das festividades habituais de final de ano: Natal e Ano-Novo.


Ao falarmos disso, logo pensamos em mesas fartas, champanhe e família. Lembramos da troca de presentes e do amigo secreto. De vestir-se de branco e esperar fogos de artifício.

É sempre assim todo ano, não é mesmo?

E será que deve ser assim?

Pensemos inicialmente no Natal. O Natal é a celebração (simbólica) do nascimento de Jesus. Isso todo mundo sabe.

E quem foi Jesus? Foi aquele cara, cabeludo e barbudo, que vivia em Jerusalém e foi pregado numa cruz a dois mil anos atrás. Todos lembramos disso.

E o que ele veio fazer aqui? Ele veio falar de amor. Ele veio nos ensinar a amar. Ele veio exemplificar o amor incondicional. Ele nos ensinou a tratar aos outros da mesma maneira que gostaríamos de ser tratados. Ainda lembramos disso?

Vamos pensar bem: na celebração do nascimento de Jesus, que veio nos ensinar a amar ao próximo (e nos deu o exemplo disso), será que o amor está presente nos nossos corações?

Será qu…

Influência dos Espíritos sobre os Acontecimentos da Vida

Hoje trazemos um tema do qual muitas pessoas tem dúvidas. As questões por si só são bastante esclarecedoras, e após elas, segue o nosso habitual comentário.


"525. Os Espíritos exercem influência sobre os acontecimentos da vida?

— Seguramente, pois que te aconselham.

525 – a) Exercem essa influência de outra maneira, além dos pensamentos  que sugerem, ou seja, têm uma ação direta sobre a realização das coisas?

— Sim, mas não agem nunca fora das leis naturais.

Comentário de Kardec: Pensamos erradamente que a ação dos Espíritos só deve manifestar-se por fenômenos extraordinários; desejaríamos que viessem em nosso auxílio através de milagres, e sempre os representamos armados de uma varinha mágica. Mas assim não é. e eis porque a sua intervenção nos parece oculta e o que se faz pelo seu concurso nos parece inteiramente natural. Assim, por exemplo, eles provocarão o encontro de duas pessoas, o que parece dar-se por acaso; inspirarão a alguém o pensamento de passar por tal lugar; chamarão …

Inteligência e instinto

Hoje falaremos sobre a inteligência e o instinto, procurando entender as diferenças entre um e outro e como cada um deles está presente nos diferentes seres.


"71. A inteligência é um atributo do princípio vital?

— Não; pois as plantas vivem e não pensam, não tendo mais do que a vida orgânica. A inteligência e a matéria são independentes, pois um corpo pode viver sem inteligência, mas a inteligência não pode manifestar-se por meio dos órgãos materiais: somente a união com o espírito dá inteligência à matéria animalizada.

Comentário de Kardec: A inteligência é uma faculdade especial, própria de certas classes de seres orgânicos aos quais dá, com o pensamento, a vontade de agir, a consciência de sua existência e de sua individualidade, assim como os meios de estabelecer relações com o mundo exterior e de prover às suas necessidades.

Podemos fazer a seguinte distinção: l.°) os seres inanimados, formados somente de matéria sem vitalidade nem inteligência: são os corpos brutos; 2.°) os ser…

O ser humano e o mundo de ilusões

O homem criou para si próprio prisões. Prisões essas feitas de ilusões.

Em sua fase de amadurecimento, a humanidade entrou em um mundo de ilusões, semelhante ao mundo de Peter Pan.

Convencionou então que para ser feliz era preciso posses e poder.

E com isso desbravou novas terras, conquistou e oprimiu outros povos, guerreou com seus vizinhos, escravizou os demais, e assim estabeleceu reinados e impérios.

Mas ainda assim o homem não era feliz.

Porém, tal como a criança, que acha que a sua felicidade está em brincar e comer doces, e quando vira adolescente percebe que eram apenas devaneios infantis, a humanidade ao se desenvolver foi abandonando gradualmente (porém nunca totalmente) essas idéias. Mas como percebeu que a realidade era mais difícil e menos emocionante, criou novos devaneios.

Hoje somos escravos das programação televisiva, que nos aliena do mundo ao nosso redor. Estratégias de marketing nos fazem comprar inúmeras tranqueiras, roupas e acessórios que não precisamos. Pensamo…

Inversão de valores

Desde o tempo onde reis e rainhas governavam, onde conquistadores desbravavam novos territórios e que a nobreza vivia separada dos pobres, os homens tendem a diferenciar-se uns dos outros.

Dadas determinadas características, sejam elas a cor da pele, a fortuna acumulada ou a nobreza de sangue, quem as possuísse era poderoso, e quem não as possuísse era um verme.

O que não se percebia era que não se pode qualificar uma pessoa somente por uma determinada característica: rico ou pobre, branco ou negro, forte ou fraco.

Todos nós somos uma combinação única de virtudes, defeitos e experiências, combinando-se numa proporção em que ninguém pode ser igual a nós.

E sendo assim tão complexos, todos nós somos bons em alguma coisa e ruins em alguma coisa. Ninguém é totalmente isento de virtude, e pouquíssimos são isentos de defeitos.

E aquela virtude que falta a um, o outro tem de sobra. Aquela habilidade que um precisa, o outro pode ensinar. E é por isso que devemos viver em fraternidade e socieda…

Considerações sobre a Pluralidade das Existências

Nesta brilhante dissertação, presente em O Livro dos Espíritos, Kardec racionalmente reflete sobre a pluralidade das existências (reencarnação), esclarecendo muitos pontos pertinentes para a compreensão deste tema.

A leitura é recomendada a todos, desde quem não acredita na reencarnação até quem já conhece todos os seus desdobres, pois ela acrescenta muito conhecimento a todos nós.

Kardec, como grande educador que era, mostra toda a sua capacidade didática e analítica sobre o tema. Uma das muitas pérolas deixadas por ele na codificação espírita.


"I – Considerações sobre a Pluralidade das Existências

222.O dogma da reencarnação, dizem algumas pessoas, não é novo e foi retirado de Pitágoras. Mas jamais dissemos que a doutrina espírita fosse uma invenção moderna. O Espiritismo deve ter existido desde a origem dos tempos, pois decorre da própria Natureza. Temos sempre procurado provar que se encontram os seus traços desde a mais alta Antiguidade. Pitágoras, como se sabe, não é o criado…

Dicas práticas para agir melhor no dia-a-dia

Como às vezes teorizamos muito e não praticamos proporcionalmente, reuni algumas dicas práticas para tentarmos agir melhor no dia-a-dia.

- Procure maneiras de ser útil aos outros. Pode ser em simples tarefas ou mesmo ajudando em tarefas mais complexas. O importante é ajudar!

- Pergunte como as pessoas estão e ouça o que elas tem a dizer. Procure se inteirar do que as pessoas sentem, de seus problemas. Muitas vezes as pessoas estão sobrecarregadas, estressadas e/ou deprimidas. Desabafar faz um bem enorme!

- Tenha contato físico com as pessoas: aperte a mão, quando possível abrace! Toque nos ombros das pessoas enquanto conversa. Isso diminui as barreiras emocionais entre você e a outra pessoa, sem contar que um pequeno gesto desses pode ser o único gesto de carinho que a pessoa vai receber no dia.

- Não fale mal dos outros. Ver os defeitos dos outros é algo totalmente contrário à caridade. Antes de procurar os defeitos alheios, investigue o seus próprios e ocupe-se tratando deles.

- Não…

Idéias inatas, intuições e talentos

Em mais um post sobre o livro dos espíritos, hoje vamos abordar este tema muito interessante, e que causa muitas dúvidas nos iniciantes no espiritismo.

Os posts sobre o livro dos espíritos normalmente vão ao ar nos sábados, mas por mudanças na minha rotina não estou conseguindo postar a tempo. Mas tão breve quanto possível, voltaremos aos dias habituais: quartas e sábados.

Vamos então ver o que O Livro dos Espíritos nos diz:


"218. O Espírito encarnado conserva algum traço das vitórias que obteve e dos conhecimentos que adquiriu nas existências anteriores?

— Resta-lhes uma vaga lembrança, que lhe dá o que chamamos idéias inatas.

218 – a) A teoria das idéias inatas não é quimérica?

— Não, pois os conhecimentos adquiridos em cada existência não se perdem; o Espírito, liberto da matéria, sempre se recorda. Durante a encarnação pode esquecê-lo em parte, momentaneamente, mas a intuição que lhe fica ajuda o seu adiantamento. Sem isso, ele sempre teria de recomeçar. A cada nova existência,…

A felicidade é para todos. E o empenho também!

Falamos com frequência aqui no blog sobre as virtudes e a felicidade verdadeira.

E são conceitos, de certa forma, abstratos. Não são coisas palpáveis.

Isso acaba fazendo com que pensemos que essas virtudes são somente para os homens sábios, os homens santos, tal como os grandes ícones da humanidade: Mahatma Gandhi, Jesus, Dalai Lama, Francisco de Assis, e assim por diante.

E então nesse equívoco não percebemos que nós também temos todo o potencial para alcançar todas as virtudes.

Mas depende de muito empenho.

A felicidade e a perfeição moral são atingíveis, mas não podem ser compradas e nem ganhadas. Precisam ser cultivadas continuamente. É necessário que lapidemos incessantemente o diamante bruto que somos.

Já dizia Jesus: "Vós sois deuses. Vós podeis fazer o que eu faço e muito mais."

Portanto, não pensemos que isso é reservado aos "santos". Com dedicação, todos nós podemos ser virtuosos e alcançar a verdadeira felicidade.

"Em algumas pessoas, os laços mater…

Quem é o verdadeiro culpado: o invejoso ou o invejado?

Atualmente as pessoas se manisfestam muito através das redes sociais: mostram suas opiniões, pontos de vista, o que "curtem" e não curtem.

E muitas pessoas postam ou compartilham imagens com frases de sábios e celebridades: alguns falando de virtudes, outros trazendo conselhos e alguns outros manifestando pontos de vista.

E entre essas frases que circulam, muitas delas possuem o tema inveja.

E isso me lembrou de um momento, ocorrido semana passada. Retornava eu para casa após o trabalho, e vendo os vários carros estacionados pensava: "será que as pessoas ricas não vivem com medo de serem assaltadas ou sequestradas?". Esse pensamento me levou a refletir sobre o supérfluo e o necessário, até que cheguei no seguinte raciocínio: "quem pouco exibe, pouco tem para ser cobiçado".

Não vou discutir hoje sobre o necessário e o supérfluo, isto já foi alvo de outro post. (clique aqui para ler).

Mas voltando ao tema da inveja e das redes sociais, não há como negar que…

Diferentes ordens de espíritos: Progressão dos espíritos

Veja as partes anteriores:

A escala espírita
Espíritos imperfeitos
Bons espíritos
Espíritos puros


Encerrando a série sobre as diferentes ordens de espíritos, vamos às questões relativas à progressão dos espíritos:

"114. Os Espíritos são bons ou maus por natureza, ou são eles mesmos que procuram melhorar-se?

— Os Espíritos mesmos se melhoram; melhorando-se, passam de uma ordem inferior para uma superior.

115. Uns Espíritos foram criados bons e outros maus?

— Deus criou todos os Espíritos simples e ignorantes, ou seja, sem conhecimento. Deu a cada um deles uma missão, com o fim de os esclarecer e progressivamente conduzir à perfeição, pelo conhecimento da verdade e para os aproximar dele. A felicidade eterna e sem perturbações, eles a encontrarão nessa perfeição. Os Espíritos adquirem, o conhecimento passando pelas provas que Deus lhes impõe. Uns aceitam essas provas com submissão e chegam mais prontamente ao seu destino; outros não conseguem sofrê-las sem lamentação, e assim permanecem,…