Últimos Posts:

Últimos posts

sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

Os inimigos internos

Gosto muito do Dalai Lama (Tenzin Gyatso) , pois além de sua ótica budista e humanista, ele sempre procura falar em termos que qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo, possa compreender.

Estou relendo um livro onde o Dalai Lama é entrevistado e questionado sobre os mais variados temas. E é incrível como os ensinamentos budistas que ele professa coincidem com tudo o que debatemos aqui no blog.

Em especial, a resposta abaixo me chamou atenção, não só pelo seu conteúdo, mas pela simplicidade em que ele explica algo tão complexo. Somente uma alma tão elevada pode falar tanto em tão poucas palavras:

"Entrevistador: Nós em geral pensamos da outra forma. Não queremos ver nossos próprios erros, mas podemos falar sem fim sobre as más qualidades dos outros. É o que Jesus também quis dizer com a seguinte metáfora: "Ou como dirás a teu irmão: 'Deixa-me tirar o argueiro do teu olho', quando tens uma trave em teu próprio olho?'' É assim que o "irmão" se torna rapidamente o inimigo.
Resposta de Dalai Lama: Sim, o único inimigo que deveria realmente me afetar é o mal em meu próprio coração. As hostilidades externas podem passar, mas os inimigos internos como a raiva, o ódio e a cobiça irão permanecer. O mesmo se aplica a todo ser humano: sou meu próprio pior inimigo com minha dependência, minha cobiça e meu ódio. O inimigo em nossos próprios corações sempre permanecerá um inimigo. Não podemos nos comprometer com nossas próprias tendências para o mal. Os maus pensamentos não podem realizar nenhum bem. Eles devem ser controlados porque, de outra maneira, não conseguiremos paz interior. Visto assim, nosso verdadeiro inimigo, o incansável criador de problemas, vive dentro de nós.
Por outro lado, o inimigo externo de hoje pode as vezes se tornar o melhor amigo de amanhã. Na minha vida, frequentemente aprendi muito com aqueles que considerava meus inimigos."
 Eu realmente não poderia ficar sem trazer esse texto para o blog. Eu li e reli várias vezes. É a síntese de tudo o que viemos falando neste ano.

A frase: "Os maus pensamentos não podem realizar nenhum bem. Eles devem ser controlados porque, de outra maneira, não conseguiremos paz interior." relata de maneira objetiva a nocividade de nossas más tendências, que se expressam através de nossos pensamentos, atitudes e palavras.

Essas más tendências, essas falhas morais que carregamos, são o nosso inimigo interno. Podemos viajar o mundo todo e ele estará sempre conosco, pelo menos enquanto não o erradicarmos de nosso coração.

O homem é como um copo com água, e as falhas morais são como um corante. Enquanto existirem as falhas morais, nunca seremos totalmente puros e cristalinos. Consequentemente, nossa felicidade é proporcional ao nosso grau de pureza interior.

E porque a felicidade vem da pureza interior? Porque enquanto houver em nós o egoísmo, o orgulho, a inveja, a ira, e tantas outras falhas, continuaremos nos preocupando com coisas secundárias e banais, deixando de nos preocupar com o que realmente importa: amar, auxiliar, conviver, aprender, construir.

Nunca temos essa visão de que o inimigo está dentro de nós. Sempre pensamos que ele está fora.

O inimigo de fora, aquela pessoa que nos perturba e faz de tudo para nos irritar, esse na verdade é o nosso maior amigo.

Se não fosse as pessoas que nos perturbam, nunca conseguiríamos exercitar as virtudes: perdão, paciência, amor, humildade, benevolência e todas as outras. Aquele que nos perturba fornece todas as ocasiões que necessitamos para sermos melhores.

Portanto, como sempre, deixamos a reflexão ao leitor, a fim de que tire as suas próprias conclusões sobre como tem encarado a vida e o que tem feito para alcançar a felicidade.

Tudo na vida é possível, só depende de coragem, empenho e dedicação.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.