Últimos Posts:

Últimos posts

quarta-feira, 27 de agosto de 2014

10 coisas que aprendi com o Espiritismo

Separei uma lista de algumas coisas que aprendi com a Doutrina Espírita. Talvez não sejam as dez coisas mais importantes, mas com certeza são as mais dignas de menção: aquelas que eu gostaria de ter aprendido mais cedo.


1 - Aprendi que o que as pessoas mais precisam é de amor e atenção.

Toda a depressão, narcisismo, mágoa, insegurança e demais problemas do mundo contemporâneo são puramente falta de amor. O amor nutre a alma e supre todas as carências emocionais que ocasionam as fragilidades da alma.

2 - Que a nossa felicidade está dentro de nós e não nas coisas materiais.

Toda a felicidade está contida dentro de nós, ou seja, na alma. Tudo aquilo de bom que cultivarmos em nós (virtudes) formará os alicerces para uma verdadeira felicidade sólida e duradoura, onde as coisas exteriores não terão nenhuma influência.
O materialismo e os vícios são apenas ilusões que trazem uma felicidade curta e fraca, nos tornando assim dependentes deles. Tudo o que é material é perecível, portanto qualquer pseudo-felicidade alicerçada sobre o materialismo será também perecível e inconstante.

3 - Que todo problema traz um aprendizado e que ao lado de todos os problemas sempre há uma consolação.

Todas as vezes em que estamos em beco sem saída, se mantivermos a calma perceberemos que há sempre alguém nos ajudando a encontrar o caminho. Infelizmente temos o hábito de nos desesperar e nos vitimar, deixando de perceber a ajuda e a solução que estão bem diante de nossos olhos.
Do mesmo modo, deixamos de perceber que cada problema traz uma lição oculta, que podemos utilizar para o nosso melhoramento interior.

4 - Que o homem é o arquiteto de seu próprio destino.

Se desejamos ter uma vida maravilhosa, devemos plantar somente coisas boas. Enquanto estivermos semeando mágoa, orgulho, ódio, egoísmo, nossa colheita será repleta de frutos amargos. Tudo o que fizermos agora, de bom ou de ruim, repercutirá de forma equivalente no futuro. Depois não adianta reclamar...

5 - Que o orgulho e o egoísmo são as maiores cegueiras da humanidade.

 Perdemos muito tempo presos na ilusão de que somos melhores que os outros (ou que precisamos ser) e por consequência pensamos somente nos nossos interesses, deixando o próximo de lado, entregue à própria sorte. Enquanto nos achamos merecedores de uma coroa e um trono, não percebemos como é enorme a nossa pequenez, que nos torna tão mesquinhos a ponto de não ajudarmos os nossos semelhantes.

6 - Que os sofrimentos são derivados das más escolhas do passado.

Tudo o que nos acontece (e o que ainda acontecerá) é fruto puro e simples de nossas escolhas, sejam elas da vida presente ou de vidas anteriores. Tudo aquilo que foi plantado, em algum momento será colhido. Ou seja, tudo aquilo que fizemos, um dia repercutirá em nossa vida.

7 - Que não fazer o mal não é a mesma coisa que fazer o bem.

Erroneamente pensamos que só por não fazermos o mal, já estamos fazendo o bem. Sim, deixar de fazer o mal já é um grande avanço, mas para fazer o bem é necessária uma postura ativa e ostensiva. Como o Livro dos Espíritos nos ensina, para ser bom aos olhos de Deus é necessário fazer o bem no limite de nossas forças.

8 - Que o esquecimento das vidas passadas é mais importante do que se pensa.

Por vaidade e curiosidade queremos sempre saber o que fomos em nossas vidas anteriores. Mas quando aprendemos que a cada encarnação temos o dever de evoluir, percebemos que quanto mais para trás olharmos, pior será a pessoa que veremos (a nós próprios no passado). Esquecer o passado é fundamental para começar uma história com uma página em branco, tentando fazer tudo da maneira mais certa possível, desde o início.

9 - Que a fé raciocinada é muito mais sólida do que a fé cega.

Quando acreditamos somente "porque é assim", nos momentos de mais dificuldade questionamos nossa fé e notamos como é fraca. Quando entendemos como as coisas são, acreditamos pelo conhecimento adquirido (pelo uso da razão) e quanto mais nos questionarmos, mais esses aprendizados se validarão e essa fé se solidificará.

10 - Que estamos o tempo todo rodeados de espíritos que simpatizam com os nossos pensamentos e atitudes.

 A antiga máxima: "me digas com quem andas, que te direi quem és" reflete a tendência humana de relacionar-se com pessoas de mesmas preferências e hábitos. Com os desencarnados acontece o mesmo, visto que são pessoas desprovidas de corpo.
Uma pessoa violenta, estará sempre rodeada de espíritos violentos, pois as afinidades os atraem. De mesmo modo que uma pessoa pacífica e benevolente estará sempre rodeada de espíritos semelhantes a ela.
Por mais que usemos máscaras no meio da sociedade, os espíritos veem quem realmente somos, e aqueles que forem semelhantes a nós se unirão a nossa causa. Só depende de nós termos boas ou más companhias.


Conclusão - Apesar desses dez itens, devemos sempre lembrar que o aprendizado mais importante de todos é que a lição "Fazer ao próximo o que gostaríamos que nos fosse feito e não fazer ao próximo o que não gostaríamos que nos fizessem" é o guia infalível para aqueles que querem seguir os ensinamentos de Jesus e se tornarem verdadeiramente homens de bem.


Convido aos leitores para colaborarem nos comentários, dizendo também quais lições gostariam de ter aprendido mais cedo. Fiquem também à vontade para dúvidas e comentários.


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.