Postagens

Mostrando postagens de 2014

[Repost] Reflexão sobre as festividades de final de ano no mundo contemporâneo

(Inicialmente postado em dezembro de 2013, mas postei novamente pela pertinência do tema)

É chegado o tempo das festividades habituais de final de ano: Natal e Ano-Novo.


Ao falarmos disso, logo pensamos em mesas fartas, champanhe e família. Lembramos da troca de presentes e do amigo secreto. De vestir-se de branco e esperar fogos de artifício.

É sempre assim todo ano, não é mesmo?

E será que deve ser assim?

Pensemos inicialmente no Natal. O Natal é a celebração (simbólica) do nascimento de Jesus. Isso todo mundo sabe.

E quem foi Jesus? Foi aquele cara, cabeludo e barbudo, que vivia em Jerusalém e foi pregado numa cruz a dois mil anos atrás. Todos lembramos disso.

E o que ele veio fazer aqui? Ele veio falar de amor. Ele veio nos ensinar a amar. Ele veio exemplificar o amor incondicional. Ele nos ensinou a tratar aos outros da mesma maneira que gostaríamos de ser tratados. Ainda lembramos disso?

Vamos pensar bem: na celebração do nascimento de Jesus, que veio nos ensinar a a…

[Vídeo] Simples atos de bondade

Imagem
Eu não costumo postar vídeos aqui no blog, mas me senti na obrigação de divulgar este aqui.

Pequenos atos de bondade feitos no dia-a-dia, com amor, e que são a mais pura expressão da caridade.

Porque para realizar a caridade não se necessita de nada pomposo. Realizar a caridade é ser a pessoa certa no lugar certo, pronta a ajudar quem necessitar.

Os exemplos do vídeo são simples e são ao mesmo tempo as oportunidades diariamente não percebemos.

Percebamos irmãos que as oportunidades de ajudar estão sempre diante de nossos olhos.




Quais as vantagens de ser uma pessoa melhor?

Em um mundo onde parece que o mal prevalece, onde parece que a malandragem, o oportunismo e a corrupção comandam tudo, quais as vantagens de ser uma boa pessoa?

Esse é um tipo de dúvida muito comum entre as pessoas.

Porque se esforçar para ser uma boa pessoa se parece que só os maus tem vez?

Em primeiro lugar, devemos lembrar que a Terra é um mundo de provas e expiações. É apenas o segundo tipo de mundo na escala evolutiva. Sendo assim, aqui infelizmente o mal prevalece sobre o bem. E por quê isso ocorre? Porque essa é a conduta de seus habitantes. (mais em: Pluralidade dos mundos habitados)

Em segundo lugar, devemos lembrar que a sociedade se faz por seus membros. A sociedade portanto carrega as mesmas características que aqueles que dela fazem parte. É o mesmo que dizer que os japoneses são estudiosos e que os brasileiros são hospitaleiros.

Com isso queremos deixar claro que o mundo só é difícil porque as pessoas assim o tornam.

Mas voltando à questão inicial: quais as vantagens de …

Estagnação versus movimento

A água quando fica parada, torna-se imprópria para o consumo.
Um livro quando fica guardado, amarela-se e mofa.
A fruta que não é comida, apodrece.
O músculo que não é usado, atrofia-se.
O metal que fica abandonado, enferruja.

Todos os tipos de estagnação trazem somente prejuizos.

A água corrente é fonte de vida.
O livro que é lido é fonte de conhecimento.
A fruta que é comida nutre o corpo.
O músculo que é exercitado, fortalece-se.
O metal que é posto em uso, vira ferramenta e estrutura.

Todos os tipos de movimento trazem utilidade.

A estagnação é um dos grandes males da humanidade. As pessoas persistem sempre nas mesmas atitudes, nos mesmos pensamentos, na mesma zona de conforto. Com isso, vão atrofiando-se e ficando cada vez mais presas nessa prisão que elas mesmas construíram.

O movimento é vida, é crescimento, é mudança. Onde há movimento há sempre uma evolução.

E para que as pessoas melhorem, evoluam, adquiram novas coisas em suas vidas, é necessário que se ponham em movimento.

É de suma impor…

[Espiritismo para iniciantes] Pluralidade dos mundos habitados

Hoje, encerrando a nossa série para iniciantes, falemos sobre a pluralidade dos mundos habitados:


Necessitando o espírito de passar por todos os degraus da evolução, é necessário que existam os meios para que isso se cumpra. Portanto, não só entre os espíritos, mas também entre os mundos, há diferentes níveis de evolução.

Não estamos dizendo neste contexto que um mundo vá evoluir, mas sim sua população.

Sendo assim, podemos citar as quatro categorias de mundos:
- Mundos primitivos: neles prevalecem a ignorância e a barbárie. É onde os espíritos iniciam sua jornada, e por não pussuírem ainda o intelecto desenvolvido, são guiados quase que integralmente pelos instintos. Por esse motivo, o mal prevalece.

- Mundos de provas e expiações: é a categoria em que se encontra a Terra. Nesses mundos o mal e o bem existem proporcionalmente, embora possa um ou outro predominar, de acordo com o grau de evolução de seus habitantes.

- Mundo de regeneração: neles o bem predomina e o mal existe, mas em pequen…

[Espiritismo para iniciantes] Encarnação dos espíritos

Seguindo a nossa série para os inciantes, abordaremos hoje a encarnação dos espíritos:

"132. Qual o objetivo da encarnação dos Espíritos?
“Deus lhes impõe a encarnação com o fim de fazê-los chegar à perfeição. Para uns, é expiação; para outros, missão. Mas, para alcançarem essa perfeição, têm que sofrer todas as vicissitudes da existência corporal: nisso é que está a expiação. Visa ainda outro fim a encarnação: o de pôr o Espírito em condições de suportar a parte que lhe toca na obra da criação. Para executá-la é que, em cada mundo, toma o Espírito um instrumento, de harmonia com a matéria essencial desse mundo, a fim de aí cumprir, daquele ponto de vista, as ordens de Deus. É assim que, concorrendo para a obra geral, ele próprio se adianta.”

A ação dos seres corpóreos é necessária à marcha do Universo. Deus, porém, na Sua sabedoria, quis que nessa mesma ação eles encontrassem um meio de progredir e de se aproximar Dele. Deste modo, por uma admirável lei da Providência, tudo se en…

[Espiritismo para iniciantes] Os espíritos - parte 2

(para ver o primeiro texto, clique aqui:[Espiritismo para iniciantes] Deus)

(para ver o segundo texto, clique aqui:[Espiritismo para iniciantes] Os espíritos - parte 1)


Os espíritos não são somente maus ou somente bons. Pertencem a diversas ordens, segundo o seu grau de perfeição moral.

Podem ser classificados basicamente em três ordens ou categorias:

- Os primeiros são os espíritos puros. Já atingiram a perfeição e não necessitam mais reencarnar. Trabalham ajudando aos espíritos imperfeitos a progredir.

- Os do segundo grupo são aqueles que alcançaram a metade da escala: se preocupam em fazer o bem. Não são ainda perfeitos, mas fazem mais o bem do que o mal.

- Os do terceiro grupo são os mais imperfeitos. Entre esses existem aqueles que não fazem o mal, mas também não fazem o bem e principalmente aqueles que se comprazem na maldade, no deboche e na enganação.

Como os espíritos são homens sem corpos, logicamente que em nossa sociedade podemos perceber encarnados espíritos de todas as ordens,…

[Espiritismo para iniciantes] Os espíritos - parte 1

(Para quem não viu o primeiro texto, clique para ler:[Espiritismo para iniciantes] Deus )

Os espíritos são os seres inteligentes da criação. Povoam o universo fora do mundo material.

São criações de Deus, e não parte dele. Assim como um homem constrói uma máquina e a máquina não é parte dele.

São criados puros e ignorantes, devendo passar por todos os níveis de aprendizado até chegar à perfeição.

Não se reproduzem, pois não possuem sexo. São criados por Deus sem cessar, desde toda a eternidade.

O mundo espiritual ou mundo dos espíritos constitui-se no mundo primordial e principal, sendo este sim o mundo verdadeiro. (Nota: fala-se aqui em um contexto generalista e não especificamente de planetas).

O mundo material ou mundo corpóreo é secundário, poderia deixar de existir e não afetaria o mundo espiritual.

Apesar de ambos serem independentes, correlacionam-se incessantemente, interagindo um com o outro sem parar.

Mas o mundo espiritual não constitui uma região limitada e circunscrita no univer…

[Espiritismo para iniciantes] Deus

Deus pode ser designado como a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas, infinito em todas as perfeições.

Muitas pessoas questionam: "como se pode provar a existência de Deus?". A prova da existência de Deus reside na simples evidencia de que não há efeito sem causa.

Para tudo existe uma causa, e negar a existência de Deus seria o mesmo que dizer que "o nada" pode fazer alguma coisa.

Todos os povos trazem inconscientemente a sensação de que um Deus existe. De onde surgiria isso? Alguns afirmam que são crenças passadas de geração em geração. Mas como então os povos nativos e aborígenes, sem qualquer contato com a civilização possuem também o mesmo sentimento?

Olhando para o universo, muitas pessoas dizem que a origem de tudo é um acaso da matéria, que originou o Big Bang. Estaríamos aí mais uma vez a olhar o efeito em vez de olhar a causa. Seria atribuir ao acaso um poder que até hoje a ciência é incapaz de precisar.

Diz-se: "pela obra se conhece o au…

Máscaras e outras "defesas" emocionais

Enquanto escrevia o texto "10 coisas que aprendi com o Espiritismo" (link) veio à tona este tema, que é de extrema importância nos dias de hoje.

Se tivermos paciência e atenção para observar, perceberemos que as pessoas não sabem lidar com as suas emoções. Vivemos em tempos acelerados e se não conseguirmos nos adaptar, somos acometidos de depressão, estresse ou outros males.

E nesse mundo acelerado, temos ainda menos tempo para aprender. Talvez em um mundo menos conectado e veloz fosse um pouco mais fácil. Ou talvez a infinidade de informações disponíveis na rede torne as coisas mais fáceis. Ainda assim, não sabemos como lidar com as emoções.

Isso decorre de falta de conhecimento interior. Peça para uma pessoa listar as suas características físicas e não faltarão adjetivos. Peça para a mesma pessoa listar a sua personalidade e teremos sorte se conseguirmos três palavras.

Estamos muito orientados ao exterior. Não conhecemos a nós próprios. Os orientais com a sua enigmática me…

10 coisas que aprendi com o Espiritismo

Separei uma lista de algumas coisas que aprendi com a Doutrina Espírita. Talvez não sejam as dez coisas mais importantes, mas com certeza são as mais dignas de menção: aquelas que eu gostaria de ter aprendido mais cedo.


1 - Aprendi que o que as pessoas mais precisam é de amor e atenção.

Toda a depressão, narcisismo, mágoa, insegurança e demais problemas do mundo contemporâneo são puramente falta de amor. O amor nutre a alma e supre todas as carências emocionais que ocasionam as fragilidades da alma.

2 - Que a nossa felicidade está dentro de nós e não nas coisas materiais.

Toda a felicidade está contida dentro de nós, ou seja, na alma. Tudo aquilo de bom que cultivarmos em nós (virtudes) formará os alicerces para uma verdadeira felicidade sólida e duradoura, onde as coisas exteriores não terão nenhuma influência.
O materialismo e os vícios são apenas ilusões que trazem uma felicidade curta e fraca, nos tornando assim dependentes deles. Tudo o que é material é perecível, portanto qualq…

Coerência entre palavras e atitudes

"Todos os que confessam a missão de Jesus, dizem: Senhor, Senhor! Mas de que vale chamá-lo Mestre ou Senhor, quando não se seguem os seus preceitos? São cristãos esses que o honram através de atos exteriores de devoção, e ao mesmo tempo sacrificam no altar do egoísmo, do orgulho, da cupidez e de todas as suas paixões? São seus discípulos esses que passam os dias a rezar, e não se tornam melhores, nem mais caridosos, nem mais indulgentes para com os seus semelhantes? Não, porque, à semelhança dos fariseus, têm a prece nos lábios e não no coração. Servindo-se apenas das formas, podem impor-se aos homens, mas não a Deus. É em vão que dirão a Jesus: “Senhor, nós profetizamos, ou seja, ensinamos em vosso nome; expulsamos os demônios em vosso nome; comemos e bebemos convosco!” Ele lhes responderá: “Não sei quem sois. Retirai-vos de mim, vós que cometeis iniqüidade, que desmentis as vossas palavras pelas ações, que caluniais o próximo, que espoliais as viúvas e cometeis adultério! Retir…

Não é necessário ser um monge para seguir os ensinamentos do Cristo

Existe uma falsa idéia de que para seguir aos ensinamentos de Cristo é necessário ser um padre, monge, asceta ou qualquer coisa do tipo. Esse conceito se formou em tempos muito remotos e permanece até hoje.

Talvez essa idéia seja motivada por aquelas ocasiões em que Jesus dizia: "vende tudo o que tens, dá o dinheiro aos pobres e segue-me". Mas se observarmos com a devida atenção, veremos que Jesus só usou dessa orientação para com aqueles que eram excessivamente apegados ao dinheiro e ao materialismo. Nada mais era do que um teste, para saber se aqueles aspirantes a seguidores realmente queriam segui-lo de coração, ou seja, se estariam dispostos a largar seus vícios e paixões.

Hoje, o Espiritismo nos faz refletir sobre todo esse legado deixado por Jesus, a fim de compreendermos quais eram as verdadeiras lições por trás das parábolas e dos exemplos que ele usava. Hoje conseguimos perceber que não é vendendo tudo o que temos e dando o dinheiro aos pobres é que seremos seguidor…

Fora da caridade não há salvação

Imaginemos que o dia de hoje inicia-se com um luminoso amanhecer, que indica um dia ensolarado e com uma temperatura agradável. Procedemos conforme a nossa rotina, e quando estamos quase chegando ao trabalho somos vítimas de um atropelamento fatal. Nossa vida chega ao fim.

Não precisamos de um inferno flamejante repleto de demônios munidos de lanças e tridentes. Uma simples pergunta  pode ser mais perturbadora do que isso:

- "O que fizestes de tua vida?"

E antes que conseguíssemos responder a esta, uma outra nos levaria ao nocaute (se já não estivéssemos mortos):

- "E o que deixastes de fazer?"

É neste momento que se passa como se fosse um filme em nossa mente, resultado de uma busca vigorosa em nossas memórias à procura dessas respostas.

As boas ações, o cultivo das virtudes e o desapego ficariam em qual das listas? O que fiz ou o que deixei de fazer?

Temos o péssimo hábito de pensar que morreremos com 80 ou 90 anos, bem velhinhos. E com isso, vamos adiando os n…

Onde está a felicidade?

Ocorreu-me a idéia de compilar frases de várias personalidades sobre a felicidade. O resultado pode ser contemplado abaixo:

"O segredo é não correr atrás das borboletas... É cuidar do jardim para que elas venham até você."
Mario Quintana

"Não existe um caminho para a felicidade. A felicidade é o caminho."
Mahatma Gandhi

"Sofremos muito com o pouco que nos falta e gozamos pouco o muito que temos."
William Shakespeare

"Quantas vezes a gente, em busca da ventura,
Procede tal e qual o avozinho infeliz:
Em vão, por toda parte, os óculos procura
Tendo-os na ponta do nariz!
"
Mario Quintana

"A nossa felicidade depende mais do que temos nas nossas cabeças, do que nos nossos bolsos."
Arthur Schopenhauer

"A alegria de fazer o bem é a única felicidade verdadeira."
Leon Tolstoi

"A alegria não está nas coisas, está em nós."
Johann Goethe

"Não há satisfação maior do que aquela que sentimos quando proporcionamos alegria aos outro…

Comentário sobre o post: "O ponto de vista"

A explanação que Kardec faz no texto O ponto de vista nos faz refletir sobre a posição do homem aqui na Terra. Mais ainda, nos faz pensar nos objetivos pelos quais estamos aqui.

Imaginemos um ator. Esse ator, em diferentes filmes interpretará diferentes personagens. Em cada filme é como se o ator fosse o próprio personagem. Mas enquanto interpreta, por mais que viva momentaneamente aquele personagem, ele sabe que não é o próprio.

De forma semelhante, acontece com o espírito. Em cada encarnação assumimos uma identidade. Seja Felipe, Daniel ou João, essas são apenas identidades passageiras que o mesmo espírito assume. A grande diferença é que o ator interpreta um personagem inventado por outra pessoa, enquanto que o espírito interpreta a si mesmo.

E o que isso quer nos dizer?

Devemos sempre lembrar que estamos aqui na Terra vivendo uma das muitas encarnações que já tivemos. Nosso único objetivo é progredir moralmente e intelectualmente, sendo ainda a moral mais importante do que o erudi…

O ponto de vista

"5 – A idéia clara e precisa que se faça da vida futura dá uma fé inabalável no porvir, e essa fé tem conseqüências enormes sobre a moralização dos homens, porque muda completamente o ponto de vista pelo qual eles encaram a vida terrena. Para aquele que se coloca, pelo pensamento, na vida espiritual, que é infinita, a vida corporal não é mais do que rápida passagem, uma breve permanência num país ingrato. As vicissitudes e as tribulações da vida são apenas incidentes que ele enfrenta com paciência, porque sabe que são de curta duração e devem ser seguidos de uma situação mais feliz. A morte nada tem de pavoroso, não é mais a porta do nada, mas a da libertação, que abre para o exilado a morada da felicidade e da paz. Sabendo que se encontra numa condição temporária e não definitiva, ele encara as dificuldades da vida com mais indiferença, do que resulta uma calma de espírito que lhe abranda as amarguras.

Pelas simples dúvida sobre a vida futura, o homem concentra todos os seus pens…

Palestra: Raul Teixeira - Espalhamento Obsessivo

Imagem
Essa é uma palestra antiga mas que gosto muito. Raul Teixeira nos explica com facilidade e objetividade todos os mecanismos da obsessão, respondendo a muitas dúvidas dos iniciantes na Doutrina Espírita.

O vídeo está dividido em duas longas partes, repletas de ensinamentos:







Tudo acontece no momento certo

O ser humano em sua maioria vive em uma realidade imediatista, do tipo "eu quero e quero agora".

Uma das causas disso é o ritmo da vida moderna repleta de tecnologia e respostas rápidas para tudo. O mundo globalizado está sempre com pressa e se torna "necessário" que tudo esteja pronto "para ontem".

Além das influências do meio, há também a nossa dose de impaciência.

E disso acarreta uma das mais famosas reclamações:

- Porque as coisas não acontecem como e quando queremos?

Para chegarmos nessa resposta precisamos avaliar dois importantes pontos:

1 - Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance?

É muito fácil reclamar sem fazermos nada para atingir os nossos objetivos. Quantas pessoas conhecemos que vivem dizendo "quero comprar um carro, mas não consigo" e que em vez de economizar para atingir ao seu objetivo ficam esbanjando em outras coisas menos importantes?

Ou então aquele que reclama por não passar no vestibular, mas em vez de estudar us…

Participação em conflitos

Desde que o ser humano pisou pela primeira vez neste mundo, sempre houveram guerras, brigas e disputas.

A imaturidade do raciocínio aliada ao instinto de sobrevivência fez com que tudo se resolvesse da maneira mais objetiva e rápida possível: o combate.

Os tempos passaram e ainda hoje se mantém um apego aos combates, sejam eles físicos ou psicológicos.

Já falamos da violência física a poucos dias (neste post).

Hoje vamos falar da violência emocional.

É comum vermos conflitos acontecendo por todos os lados: nas famílias, no trabalho, no trânsito, os filhos com os pais, os pais com os filhos, etc.

Em certos casos é inevitável entrar em um conflito (diferença de opiniões) para se chegar a uma solução. Isso não podemos negar (apesar de ser possível fazer isso da maneira mais suave possível).

Vamos nos deter falando daqueles conflitos desnecessários.

A maioria dos conflitos desnecessários se dá devido ao orgulho das pessoas, que ao mínimo sinal de ofensa já contra-ataca para "se prote…

As mudanças aparentes e as mudanças reais

Desde o início do blog estamos falando sobre mudanças. Mudar é a palavra chave para todo espírita e para todo aquele que deseja tornar-se uma pessoa melhor.

Mas como já é de se esperar, existem alguns enganos pelo caminho.

Algumas vezes não compreendemos corretamente as lições. Ou simplesmente não conseguimos colocá-las em prática da maneira certa.

É um problema errar? Definitivamente não. O problema é persistir no erro.

Partindo então desses equívocos, podemos perceber que em alguns casos realmente mudamos, sendo que em outros nós só aparentamos ter mudado. Vamos ver alguns casos.


- Raiva / ódio

Suponhamos então que somos pessoas que temos ataques de raiva e um ódio constante por tudo e por todos.

Se nós procurarmos ficar quietos em vez de chingar, ficarmos parados em vez de agredir, aparentaremos ter mudado.

Mas e por dentro? Como estarão nossos sentimentos nesse momento?

A mudança só será real quando, em uma situação de conflito ou de extremo estresse, conseguirmos não só manter o …

Os laços de família

Ao deparar-me com essa leitura, fiquei surpreso como Santo Agostinho trata com facilidade de um tema tão complexo como os laços de família e nos brinda com uma aula sobre a reencarnação.

Merece ser lido e relido!

"9 – A ingratidão é um dos frutos mais imediatos do egoísmo, e revolta sempre os corações virtuosos. Mas a dos filhos para com os pais tem um sentido ainda mais odioso. É desse ponto de vista que a vamos encarar mais especialmente, para analisar-lhe as causas e os efeitos. Nisto, como em tudo, o Espiritismo vem lançar luz sobre um dos problemas do coração humano.

Quando o Espírito deixa a Terra, leva consigo as paixões ou as virtudes inerentes à sua natureza, e vai no espaço aperfeiçoar-se ou estacionar, até que deseje esclarecer-se. Alguns, portanto, levam consigo ódios violentos e desejos de vingança. A alguns deles, porém, mais adiantados, é permitido entrever algo da verdade: reconhecem os funestos efeitos de suas paixões, e tomam então boas resoluções; compreendem qu…

A eterna luta do bem contra o mal

Nós todos temos uma grande atração pela eterna luta do bem contra o mal. Seja em livros, filmes, séries, peças de teatro ou mesmo em antigas lendas e contos de fadas.

Algumas vezes a luta é ambientada entre guerreiros medievais e bestas infernais, outras vezes entre uma nação oprimida e um grande tirano. Também há aquelas que se passam entre os humanos do futuro e os terríveis alienígenas conquistadores.

Porque isso nos atrai tanto? Porque temos essa vontade de pegar uma espada e combater algum monstro "do outro mundo"?

Trazemos em nosso subconsciente a seguinte mensagem: nossa missão é combater o mal.

Mas, materialistas como somos, procuramos sempre as coisas do lado de fora de nós.

Vivemos procurando a felicidade fora de nós. Porque não procuraríamos o mal também?

Essa visão distorcida é que prejudica essa missão que viemos realizar.

O mal que deve ser combatido não se trata de feras insanas, alienígenas malvados ou ditadores cruéis, mas trata-se do mal que há dentro de nó…

A violência

O mundo sempre foi um lugar violento.

Mas é necessário que compreendamos que essa violência vem somente de um lugar: do homem.

A violência já foi muito usada para dominar, conquistar e até mesmo defender, desde os tempos mais bárbaros.

Hoje não é necessário que se empregue mesmo tais métodos.

Entretanto o instinto violento permanece enraizado no homem. Quando não é utilizando-se da violência física, é utilizando-se da violência psicológica.

Ainda se acredita que a melhor maneira de se demonstrar força seja através da violência.

"Violência não é um sinal de força, a violência é um sinal de desespero e fraqueza." (Dalai Lama)

Mas se nos detivermos raciocinando sobre isso, perceberemos que é um sinal muito maior de força evitar a violência.

O violento é sempre uma pessoa que não tem controle sobre si. Abdica então da racionalidade e deixa que seus instintos o governem.

Existe algum esforço nisso? Existe apenas conveniência.

Agora pensemos naquela pessoa que se vê mergulhada e…

O óbolo da viúva - a verdadeira caridade

"E estando Jesus assentado defronte donde era o gazofilácio, observava ele de que modo dava o povo ali o dinheiro; e muitos, que eram ricos, davam com mão larga. E tendo chegado uma pobre viúva, lançou duas pequenas moedas, que importavam um real. E convocando seus discípulos, lhes disse: Na verdade vos digo, que mais deu esta pobre viúva do que todos os outros que deram no gazofilácio. Porque todos os outros deram do que tinham na sua abundância; porém esta deu da sua mesma indulgência tudo o que tinha, e tudo o que lhe restava para seu sustento. (Marcos, XII: 41-44 – Lucas, XXI: 1-4)."



A parábola do óbolo da viúva (óbolo = esmola, doação) nos dá o exemplo de alguém que como doação deu tudo o que tinha.

Mas não pensem que esta parábola refere-se ao dinheiro. O dinheiro é apenas o exemplo que Jesus utilizou para transmitir este ensinamento.

Essa parábola refere-se ao mais simples exemplo da verdadeira caridade: doar aquilo que se tem. Mas a doação do supérfluo não representa…