Últimos Posts:

Últimos posts

quarta-feira, 10 de setembro de 2014

[Espiritismo para iniciantes] Deus

Deus pode ser designado como a inteligência suprema, causa primeira de todas as coisas, infinito em todas as perfeições.

Muitas pessoas questionam: "como se pode provar a existência de Deus?". A prova da existência de Deus reside na simples evidencia de que não há efeito sem causa.

Para tudo existe uma causa, e negar a existência de Deus seria o mesmo que dizer que "o nada" pode fazer alguma coisa.

Todos os povos trazem inconscientemente a sensação de que um Deus existe. De onde surgiria isso? Alguns afirmam que são crenças passadas de geração em geração. Mas como então os povos nativos e aborígenes, sem qualquer contato com a civilização possuem também o mesmo sentimento?

Olhando para o universo, muitas pessoas dizem que a origem de tudo é um acaso da matéria, que originou o Big Bang. Estaríamos aí mais uma vez a olhar o efeito em vez de olhar a causa. Seria atribuir ao acaso um poder que até hoje a ciência é incapaz de precisar.

Diz-se: "pela obra se conhece o autor". Conhecendo as perfeitas leis que regem o universo, a física, a química, a biologia, a botânica e todas as demais ciências, não seria um tanto inocente atribuir tudo isso ao acaso?

Um acaso inteligente não seria mais o acaso.

"13. Quando dizemos que Deus é eterno, infinito, imutável, imaterial, único, todo-poderoso, soberanamente justo e bom, não temos uma idéia completa de seus atributos?

— Do vosso ponto de vista, sim, porque acreditais abranger tudo, mas ficai sabendo que há coisas acima da inteligência do homem mais inteligente, e para as quais a vossa linguagem, limitada às vossas idéias e às vossas sensações, não dispõe de expressões. A razão vos diz que Deus deve ter essas perfeições em grau supremo, pois, se tivesse uma de menos, ou que não fosse em grau infinito, não seria superior a tudo, e, por conseguinte, não seria Deus. Para estar acima de todas as coisas, Deus não deve estar sujeito a vicissitudes e não pode ter nenhuma das imperfeições que a imaginação é capaz de conceber.

Comentário de Kardec: Deus é ETERNO. Se ele tivesse tido um começo, teria saído do nada. Ou então, teria sido criado por um ser anterior. É assim que, pouco a pouco, remontamos ao infinito e à eternidade.

É IMUTÁVEL. Se ele estivesse sujeito a mudanças, as leis que regem o Universo não teriam nenhuma estabilidade.

É IMATERIAL. Quer dizer, sua natureza difere de tudo o que chamamos matéria, pois de outra forma ele não seria imutável, estando sujeito às transformações da matéria.

É ÚNICO. Se houvesse muitos Deuses, não haveria unidade de vistas nem de poder na organização do Universo.

É TODO-PODEROSO. Porque é único. Se não tivesse o poder soberano, haveria alguma coisa mais poderosa ou tão poderosa quanto ele, que assim não teria feito todas as coisas. E aquelas que ele não tivesse feito seriam obras de um outro Deus.

É SOBERANAMENTE JUSTO E BOM. A sabedoria providencial das leis divinas se revela nas menores como nas maiores coisas, e esta sabedoria não nos permite duvidar da sua justiça, nem da sua bondade.
"

Desde os tempos primórdios o homem tentou explicar Deus segundo a sua inteligência limitada, tendo esta ou aquela forma, sendo vingativo e cruel ou mesmo dizendo que a Terra foi criada do dia para a noite.

O espiritismo nos convida a abandonar as crendices e o ceticismo e abraçar a racionalidade.



Leituras complementares (em O Livro dos Espíritos):

I – Deus e O Infinito (link)
II – Provas da Existência de Deus (link)
III – Atributos da Divindade (link)
IV – Panteísmo (link)


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.