Ventos de mudança

Deixemos de ser robôs programados por nós mesmos, por nossos pensamentos negativos, depressivos e repetitivos.

Deixemos de jogar a culpa de nossa infelicidade nos outros. Vamos sair desse padrão que nós mesmos criamos. Necessitamos criar novos padrões, padrões positivos, com sentido, com felicidade, com amor.

Nós somos potências criadoras. Não esperemos por anjos descendo dos céus com suas trombetas zunindo a chegada do Criador para que as coisas mudem. Nós somos os criadores de nossos mundos, de nossa mente, de nossa paz, de nossa harmonia, de nossa vida! Nós é que atraímos as coisas boas e más! Escolhamos as boas, As saudáveis, as benéficas para nós!

Deixemos de viver no mesmismo! Chega! É tempo de mudar, de criar novos pensamentos, novas ações, novos destinos! Deixemos de ser os coitadinhos, os infelizes, os renegados! Achar que nada tem sentido, que a vida é cinza, que não temos futuro.

Se podemos ser tudo o que sempre quisemos ser, porque ser o oposto? Qual a vantagem disso?

O tempo urge.

Precisamos viver em paz hoje, agora.

Precisamos ser aqueles que deveríamos ser agora.

O tempo da birra com o Pai já não tem mais sentido.

Sejamos o que devemos ser, desde o princípio de nossa criação, os filhos perfeitos de Deus.

Comentários

Posts mais visitados

O óbolo da viúva - a verdadeira caridade

Os tormentos voluntários

10 coisas que aprendi com o Espiritismo

A preguiça também é uma falha moral

Fora da caridade não há salvação - A cada um segundo suas obras

Caridade, perdão e humildade

Não podemos servir a Deus e a Mamon

Como (e por que) me tornei espírita

Não torne seus problemas maiores do que são

A parábola do filho pródigo - e o que ela revela sobre nós