Últimos Posts:

Últimos posts

quinta-feira, 22 de outubro de 2015

Falando sobre a reencarnação - Casos documentados que indicam reencarnações

Continuando os nossos posts sobre a reencarnação, que começaram com Porque a Reencarnação é fato e não poderia ser de outra forma , e tiveram sequência em  Falando sobre a reencarnação - Crianças prodígioFalando sobre a reencarnação - A justiça divina e a reencarnação , hoje falaremos sobre vários casos que comprovam mais ainda a reencarnação.

São histórias de pessoas que se lembram de vidas passadas, com uma exatidão tamanha que chega a ser possível a conferência nos registros históricos e - o mais incrível - conferem em todos os detalhes.

Quero dedicar o post a uma das histórias que mais me chamou à atenção recentemente. Publicada no Mundo Gump, site do curioso Philipe Kling David que adora mistérios e histórias intrigantes. Com a autorização do mesmo, reproduzo aqui a história. O link original encontra-se aqui.

"A bizarra e inacreditável reencarnação de Carl Edon

Provas sólidas e Reais. E é por isso que a história de Carl Edon é tão extraordinária.

Além das memórias que Carl insistia que eram verdade, estava para acontecer uma reviravolta bizarra e impressionante na história!

    “Eu era um piloto de bombardeiro alemão”

Carl Edon nasceu em 29 de dezembro de 1972 em Middlesborough Inglaterra. Seus pais, James e Valerie Edon eram cristãos e frequentavam a Igreja Anglicana. Nenhum deles acreditava na reencarnação, e de fato, esse assunto sequer chegou a ser mencionado na casa deles, já que todos pensavam na morte cristã como um renascimento no paraíso.

Tudo estava normal até que aos três anos, Carl começou a contar uma história surpreendente e bastante preocupante: Ele disse que se lembrava de ser um piloto de bombardeiro alemão.

Seus pais ficaram completamente confusos. Onde diabos o molequinho conseguiu arrumar aquela história estranha?

Os pais do menino sabiam, que eles não tinham em casa nenhum livro sobre o assunto ou que referenciasse a Segunda Guerra Mundial, e também pela pouca idade, Carl não tinha como ter lido ou visto essas histórias.

Foi o pai dele, James, o primeiro a dar ouvidos seriamente ao que o menino contava empolgado. James logo começou uma investigação sobre as histórias do filho.

    “Eu me espatifei através da janela do avião!”

Estas foram as primeiras palavras de Carl Edon quando ele começou a insistir que ele não era uma criança, mas sim um piloto alemão. Ele repetiu essa frase estranha muitas vezes ao longo dos anos, e sempre foi rapidamente seguido por uma saudação nazista. Indagado, o menino insistia que tinha sido abatido em 1942!

Carl passou a dizer que estava em um bombardeio sobre a Inglaterra, quando ele caiu. Ele então começou a traçar emblemas, suásticas e insígnias da aviação de guerra alemã. Isso aconteceu quando ele tinha dois ou três anos de idade, e tinha apenas começado a aprender a desenhar. Ele sempre tentava desenhar uma ave preta num escudo, e logo ficou claro o que ele desenhava:

Até a idade de seis anos, a coisa tinha piorado bastante. Ele sabia detalhes que pareciam limitados a historiadores, e fez até um plano detalhado de um cockpit de avião, descrevendo para o que cada um daqueles reloginhos servia. Ele também falou de um pedal vermelho que servia para lançar as bombas. Em seguida, ele surpreendeu seus pais, explicando que o avião era um Messerschmidt alemão! Mas ele não tinha certeza. O menino acreditava que o número no seu avião era ou 101 ou 104.

Nesta época, os pais do menino já estavam absolutamente bolados com aquilo e envolvidos na tentativa de levantar os detalhes daquelas memórias estranhas. Uma noite, quando eles estavam assistindo um programa sobre o Holocausto na TV, Carl disse que ele acreditava que “sua base aérea” estava próxima de um campo de concentração. Eles não tinham certeza qual.

    “Eu perdi uma perna no acidente”

Carl deu informações detalhadas sobre como “ele” tinha perdido a perna direita no acidente, e em uma estranha reviravolta, Carl tinha uma grande marca de nascença na sua virilha, na parte superior de sua perna direita. ( é bom lembrar que existem estudos tentando ligar estranhas marcas de nascença com casos de crianças que se lembram de encarnações.)

Carl já estava com onze anos e resolveu mostrar como ele poderia fazer o “passo do ganso”, uma marcha típica de um piloto alemão. Quando seus colegas de classe começaram a rir dele, ele decidiu que era hora de parar de contar suas memórias na escola.

Psicologicamente, Carl também mostrou traços de sua vida passada por ser meticulosamente limpo e arrumado. E quando ele se levantava para ouvir alguém, ele instintivamente ficava em posição de sentido, como se ele fosse um soldado. Inclusive mantendo as duas mãos espalmadas e retas ao lado do corpo.

Carl também não se parecia com seus pais. Eles tinham o cabelo escuro, mas Carl era loiro. Ele tinha olhos azuis como sua mãe, mas o resto da família tinha olhos castanhos. Como Hitler teria dito, o menino parecia um candidato perfeito para representar a raça ariana.

O problema com todas essas memórias e histórias era que na época, não podiam ser corroboradas. Não havia nenhuma prova, nenhuma documentação, nada. Mas logo aconteceu algo, que era tão estranho que vai além do reino da estranheza.

Em 1942 Heinrich Richter foi abatido em seu avião Dornier Bomber, juntamente com três outros membros da tripulação. Os detalhes do acidente incluíam o fato de que o avião tinha sido danificado pelo fogo anti-aéreo antes de cair.

Três dos pilotos foram recuperados e enterrados em Thornaby, aproximadamente quatro milhas de Middlesborough logo após o acidente da aeronave.

Aqui é onde a história fica um pouco mais estranha! Dentro dos destroços, os três corpos não incluíam Heinrich Richter! Na época das supostas memórias de encarnação anterior de Carl, ninguém sabia que H. Richter estava naquele avião.

Então, em 1997, nada menos que 25 anos depois que Carl tinha contado sua história, mais destroços foram descobertos! Estavam enterrados numa estrada remota em Tilbury Middlesborough.

Quando o avião foi desenterrado, eles descobriram outro corpo. Era Heinrich Richter. Além do mais, quando eles removeram os restos do corpo, eles descobriram que Heinrich tinha mesmo perdido a perna direita no acidente, e a perna ainda estava com sua bota! Exatamente como Carl havia dito, que “sua” perna havia sido cortada fora na hora da morte, e bem no lugar onde o menino nasceu com uma marca.

Tudo isso é absolutamente bizarro, mas ainda não é tudo!

Novas fotografias de Heinrich Richter surgiram depois que um historiador local assumiu a pesquisa, e obstinadamente mergulhou em uma enorme quantidade de informações. Quando as fotos foram colocadas juntos há uma estranha semelhança entre os menino e o piloto do bombardeiro alemão.






A mãe de do menino ao ver a foto se sentiu atordoada. “Tem que ser ele” Ela sussurrou.

Bizarro? Mas espere, pois essa história não termina aí.

Dois anos antes da descoberta do avião bombardeiro abatido, e a recuperação do corpo de Heinrich Richter, Carl Edon foi assassinado.

Era 1995. Gary Vinter estava trabalhando ao lado de Carl Edon num depósito de trens de Loudhaul. Gary Vinter, era um cara desequilibrado, que tinha um histórico de violência extrema. Do nada o cara deu a louca e em poucos segundos de completo horror, Carl foi esfaqueado 37 vezes. Gary estava fora de si e perfurou cada um dos órgãos de Carl Edon.

Carl deixou para trás sua namorada Michelle, sua filha de quase dois anos de idade Sophie, e seus pais.

Dois meses depois de sua morte, Michelle deu à luz sua segunda filha dele: Carla.

No dia em que Gary Vinter realizou seu ataque assassino, Carl Edon tinha viajado para Skinningrove para coletar vagões de trem. Ele tinha 22 anos. Mais de 40 anos antes, no dia que o piloto Heinrich Richter morreu, seu avião havia bombardeado justamente Skinningrove e voava para Middlesborough seguindo a linha ferroviária. Ele tinha 24 anos.

Carl Edon e Heinrich Richter. Duas pessoas ligadas misteriosamente na morte, e em vida através de décadas. Ambos morreram seguindo a mesma ferrovia.

Douglas Vinter, mais conhecido como Gary Vinter, foi condenado à prisão perpétua após o brutal assassinato de Carl Edon. Ele só ficou preso 10 anos antes de ser solto, beneficiado por uma redução na pena. Logo ele conheceu Anne White, uma mulher que ja tinha quatro filhos, e eles se casaram em 2006.

A família dela avisou para ficar longe dele, mas apaixonada, Anne recusou. Tempos depois, ela estava dizendo a seus amigos que queria deixá-lo, mas estava com muito medo.

Gary maluco atacou Anne e voltou para a prisão. Ele agora está servindo uma sentença de prisão perpétua.

A mãe de Carl Edon, Val estava firmemente convencida de que Carl era de fato a reencarnação de Heinrich Richter. No funeral de Heinrich Richter, que ocorreu depois de terem encontrado seu corpo em 1997, Val e Jim, os pais de Carl disseram que de pé, diante do túmulo de Richter sentiram uma sensação ‘estranha’ que ‘era como se eles estivessem enterrando Carl de novo’.

Depois eles disseram que esperavam que este seria o fim de tudo.
Além do Karma

Há muitos casos e relatos de reencarnação, mas certamente esse é um dos mais bizarros, tristes e comoventes de todos eles. Não só Heinrich teria reencarnado como Carl como ele foi cruelmente levado desta vida. Morreu a metros onde o avião foi derrubado muitos anos antes.

Pelo fato do corpo de Heinrich ter sido descoberto depois, podemos perceber que não havia nenhuma maneira de Carl ter conhecido a história do piloto. Muitos episódios de reencarnação deixam um ponto de interrogação: Será que eles de alguma forma alguém leu sobre o caso para a criança? Será que a criança ouviu aquelas histórias de alguém? E então nós temos dúvidas. Mas, no caso de Carl Edon e Heinrich Richter, a coisa parece mais complexa.

Estas eram certamente estranhas circunstâncias. O destino mais de uma vez reuniu uma só alma e um só lugar.
Por quê? Nós nunca saberemos.
"

Vejam a incrível riqueza de detalhes deste caso. Como um menino tão pequeno poderia saber uma história tão complexa e tão precisa? E o mais surpreendente: as informações sobre o caso ainda não existiam!

No Mundo Gump ainda há outros posts muito interessantes sobre o tema, seguem alguns links:

- Lembranças de outra encarnação?

- Lembranças de outras vidas - parte 2

- Reencarnação? Conheça o bizarro caso das irmãs Pollock

- Moleque de 10 anos alega que é reencarnação de ator de Hollywood dos anos 30

E não para por aí. Há na internet ainda diversas reportagens comentando o assunto:

- 10 evidências físicas que mostram que a reencarnação pode ser real

- O caçador de reencarnados

- Ian Stevenson - o caçador de vidas passadas

- Vinte casos sugestivos de reencarnação

- Cientistas, através da física quântica, acreditam que a consciência continua viva após a morte

Se olharmos tudo isso apenas pelo ponto de vista dos relatos, seguramente já teríamos um interessantíssimo material sobre o qual refletir.

Mas em nossa proposta aqui no blog, queremos unir estes relatos à todas as evidências que comprovam a realidade da reencarnação.

Em nosso primeiro post, trouxemos os diversos aspectos que sustentam a reencarnação e temos trazido desde então um aprofundamento nos temas mais oportunos.

Mas se ainda assim restam dúvidas, propomos ao amigo leitor a seguinte reflexão: se não é assim, como deveria ser?

Já nos dizia Kardec: não basta dizer que não é assim, é necessário dizer o que haveria em seu lugar.


Agradecemos especialmente ao Philipe por nos autorizar a reproduzir aqui o seu texto.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.