Não importa quem você é. O que importa são suas atitudes.

No momento atual de nossa sociedade vemos muitos rótulos surgindo todos os dias, e o pior, pessoas entrando em conflito por causa disso. Cada vez se vê mais julgamentos e mais divisão entre as pessoas. A fim de demonstrar como isso é um grande equívoco, observemos o que diz Jesus:

"Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós com vestidos de
ovelhas, e por dentro são lobos roubadores. Pelos seus frutos os conhecereis. Porventura os homens colhem uvas dos espinheiros, ou figos dos abrolhos? Assim, toda árvore boa dá bons frutos, e a árvore má dá maus frutos. Não pode a árvore boa dar maus frutos, nem a árvore má dar bons frutos. Toda árvore que não dá bons frutos será cortada e lançada no fogo. Assim, pois, pelos seus frutos os conhecereis." (Mateus, VII: 15-20).

"Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor, entrará no Reino dos Céus, mas sim o que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus, esse entrará no Reino dos Céus. Muitos me dirão, naquele dia: Senhor, Senhor, não é assim que profetizamos em teu nome, e em teu nome expelimos os demônios, e em teu nome obramos muitos prodígios? E eu então lhes direi, em voz bem inteligível: Pois eu nunca vos conheci; apartai-vos de mim, os que obrais a iniqüidade." (Mateus, VII: 21-23).

"Mas os fariseus, quando ouviram que Jesus tinha feito calar a boca dos
saduceus, juntaram-se em conselho. E um deles, que era doutor da lei, tentando-o, perguntou-lhe: Mestre, qual é o maior mandamento da lei? Jesus lhe disse: Amarás ao Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu entendimento, este é o maior primeiro mandamento. E o segundo, semelhante a este, é: Amarás ao teu próximo como a ti mesmo. Estes dois mandamentos contêm toda a lei e os profetas." (Mateus, XXII: 34-40).

"[...] após interrogar seus discípulos acerca do que diziam os homens
a seu respeito, Jesus declara: 'Porque o Filho do homem virá na
glória de seu Pai, com os seus anjos; e, então, dará a cada um segundo as suas obras'." (Mateus 16:27)



Desta leitura podemos entender que:

1 - Se conhece a árvore por seus frutos, ou seja, se conhece a pessoa por aquilo que ela produz no mundo. Uma pessoa boa produz bondade, enquanto que uma pessoa má produz maldade. Por mais que as aparências enganem, o que realmente identifica uma pessoa é aquilo que ela produz no mundo.

2 - Não basta ter palavras doces se elas contradizem as nossas atitudes. Palavras que não são firmadas com atos não tem validade nenhuma. Os que assim procedem praticam a iniquidade. A saber:

"Iniquidade é um substantivo feminino da língua portuguesa e define algo ou alguém que tem um comportamento contrário à moral, à religião, à justiça, à igualdade e etc."

Então Jesus, em outras palavras, disse: "Afaistai-vos de mim vós que sois contrários à moralidade"

3 - O maior mandamento é: Amar a Deus com todo o coração e todo o nosso ser, e ao próximo como a nós mesmos.

4 - A cada um será dado de acordo com as suas obras.


Conclusão:

Não importa se você é rico ou pobre.
Não importa se você é religioso ou ateu.
Não importa se você negro ou branco.
Não importa se você gay ou hétero.
Qualquer distinção que você pensar, também não importa.

A única coisa que importa é a conduta de cada um.

Porque tanto o rico como o pobre podem ser igualmente bons ou igualmente maus.
Porque tanto o religioso como o ateu podem ser igualmente bons ou igualmente maus.
Porque tanto o negro como o branco podem ser igualmente bons ou igualmente maus.
Porque tanto o gay como o hétero podem ser igualmente bons ou igualmente maus.

Jesus em nenhum momento disse que somente esse ou aquele grupo teria a salvação. Todas as vezes que estabeleceu um critério, este era: seguir a Deus, seguir ao mandamento maior, dar bons frutos, ser íntegro (praticar aquilo que prega), ser virtuoso, etc.

Somos todos espíritos imortais, criados simples e ignorantes com o único propósito de aprendermos e nos lapidarmos a fim de atingir a perfeição.

Portanto, pouco importa o nosso saldo bancário, a nossa etnia, nossa orientação sexual, nossa religião (se é que seguimos uma). Aliás, há ateus que são dez vezes mais caridosos que a maioria dos ditos religiosos.

A única coisa que importa é a conduta de cada um.

Portanto, fechemos nossos olhos para o julgamento alheio. Comecemos a nos preocupar mais com a nossa evolução, com o desenvolvimento constante de nossas virtudes e com a eliminação de nossas falhas morais.

Porque somente assim cumpriremos com o nosso propósito de vida e alcançaremos a felicidade.



Texto relacionado:

- A diferença entre a satisfação e a felicidade

Comentários

Posts mais visitados

O óbolo da viúva - a verdadeira caridade

Os tormentos voluntários

10 coisas que aprendi com o Espiritismo

A preguiça também é uma falha moral

Fora da caridade não há salvação - A cada um segundo suas obras

Caridade, perdão e humildade

Não podemos servir a Deus e a Mamon

Como (e por que) me tornei espírita

Não torne seus problemas maiores do que são

A parábola do filho pródigo - e o que ela revela sobre nós