quarta-feira, 4 de julho de 2018

E no dia do desencarne?

Cedo ou tarde, para todos nós chegará o momento do desencarne.

E por mais que pensássemos de maneira materialista durante a nossa encarnação, ao nos darmos conta de que nosso corpo morreu porém continuamos vivos de alguma maneira, perceberemos que toda essa história de espírito e alma era verdadeira.

Alguns de nós, tão cegos pelo materialismo, nem perceberemos que estamos fora de nosso corpo físico. Continuaremos "vivendo" como se ainda estivéssemos encarnados, agarradíssimos ao mundo material, tentando inclusive interagir com os encarnados.

Mas uma vez que nos conscientizemos de nosso novo estado, nossas vidas então passarão como filmes diante de nossos olhos. Todas as boas ações, todos os erros, tudo sendo constantemente repassado.

E então nos será questionado:

- Que fizeste de todas as oportunidades que tivestes em tua vida?
- O que fizeste durante a tua vida para tornar-te uma pessoa melhor?
- Quantas vezes ajudaste o próximo?
- Quantas vezes perdoaste o próximo?
- Quantas vezes trataste o próximo como gostaria de ser tratado?
- De quais maneiras deste o exemplo ao teu irmão de como ser um homem de bem?
- Quantas horas dedicaste ao aprendizado dos ensinamentos do bem e quantas horas dedicaste para passar este conhecimento aos outros?

E assim por diante...

Se não temos boas respostas para esses questionamentos agora, ainda há tempo para mudança. Ainda podemos construir um novo futuro. Ainda poderemos dizer:

"Por muitos anos não ajudei ao próximo, agi somente por meus próprios interesses e ainda por cima de maneira auto-destrutiva. Porém houve um momento em que meu coração foi tocado pela mensagem da mudança interior e do amor ao próximo e desde então...."

E poderemos apresentar boas respostas a todos estes questionamentos. Mas depende de nossa vontade e de nossa dedicação.

Sobre este tema, recomendamos o filme Nosso Lar para todos aqueles que não viram (e os que viram podem ver novamente), onde vemos o Dr. André Luís passando por todas essas etapas, pois sendo grande na sociedade dos homens, pensou que seria também grande coisa no plano espiritual. Que engano!

Porém também nos enganamos quando pensamos que pelo simples fato de sermos espíritas, já estamos automaticamente elevados aos mais altos patamares da espiritualidade. Pensamos que somos os exemplos vivos da caridade. Mas na maioria das vezes, não é assim.

Para ilustrar tamanho engano, recomendamos o livro Voltei, de autoria do Irmão Jacob, onde o mesmo iludia-se pensando que por ser espírita havia tornado-se um ser elevadíssimo, mas ao desencarnar, qual não foi o seu arrependimento ao perceber que falou muito e de fato fez pouco?

E como esses há muitos outros materiais para nos instruir e expandir o nosso entendimento, promovendo profundas reflexões. Deus em sua infinita bondade nos fornece todos os meios necessários ao nosso adiantamento, bastando somente querermos para realizar todas as transformações que necessitamos em nós mesmos e em nossas vidas.

Não deixemos para amanhã, pois não sabemos qual dia será o nosso dia de partir. Eu quero estar preparado, e você?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.