Últimos Posts:

Últimos posts

quinta-feira, 3 de setembro de 2015

Existe mais mal do que bem no mundo?

Esse é um questionamento muito comum que todos nós que acompanhamos as notícias diárias carregamos conosco.

Assaltos, sequestros, corrupção, violência no trânsito, bullying, pedofilia, são apenas alguns dos termos com que temos que lidar diariamente quando acompanhamos as notícias. E os vemos com uma frequência maior do que gostaríamos.

Afinal de contas, existe no mundo mais mal do que bem?

Apesar de que uma reflexão apressada possa nos causar desespero e acabar com nossa esperança, uma análise profunda pode nos surpreender.

Infelizmente, percebemos que a maioria das pessoas possui (mesmo que de maneira inconsciente) um certo apego à desgraça. Se existem 3 notícias boas e 3 notícias ruins, normalmente as mais lidas e comentadas serão as notícias ruins. Isso causa o terrível fenômeno: tragédia vende.

Proponha-se a se observar e a observar familiares e amigos, e note como uma notícia onde um assalto à luz do dia dentro de um supermercado chama atenção e causa repercussão.

Escolha o seu site favorito de notícias e veja quais são as notícias mais comentadas. Mais do que isso, perceba o conteúdo dos comentários.

E então perceberás a atratividade dos temas violentos.

Isso quer dizer que devemos ser alienados e não acompanhar as notícias?
Não, isso quer dizer que não devemos nos alimentar da desgraça e nem sermos sedentos por tragédias.

Penetrando ainda mais fundo na questão: quais sentimentos experimento quando acompanho tais notícias? Será que esses sentimentos e emoções me fazem bem?

Por razões que só cabem aos grandes pensadores esclarecer, o ser humano inquestionavelmente se sente atraído pelo horror, pela morbidez e pela violência, provavelmente traço ainda muito marcantes de nossas encarnações anteriores quando o mundo era menos civilizado. 

Mas esse não é o principal ponto que quero apontar aqui. É somente o ponto de partida.

Há outro elemento muito importante nesta equação: quem faz o bem, o faz com discrição.

Jesus muito repetiu que o bem deveria ser feito sem ostentação. Que a mão esquerda não saiba o que dá a direita.

"Quantos há que só fazem um benefício com a esperança de que o beneficiado o proclame sobre os telhados; que darão uma grande soma à luz do dia, mas escondido não dariam sequer uma moeda! Foi por isso que Jesus disse: “Os que fazem o bem com ostentação já receberam a sua recompensa”. Com efeito, aquele que busca a sua glorificação na Terra, pelo bem que faz, já se pagou a si mesmo. Deus não lhe deve nada; só lhe resta a receber a punição do seu orgulho."

E se refletirmos sobre o tema, perceberemos que quem quer realmente fazer o bem, com humildade e amor, não tem interesse em ser visto e em ser divulgado, o faz pelo chamado do seu interior a se doar em benefício do próximo. Pouco importam as opiniões e o reconhecimento alheios. Na maioria das vezes, evade os holofotes para passar despercebido.

E pelo fato de o bem ser silencioso, o contraste entre a percepção do bem e do mal no mundo agrava-se ainda mais, nos dando a falsa idéia de que o mal prevalece no globo.

Fé na humanidade restaurada?

O termo "fé na humanidade restaurada" (ou no original "faith in humanity restored") tem cada vez ganhado mais espaço na internet.

Normalmente associado a notícias, vídeos e imagens, revela os atos de bondade que acontecem ao redor do mundo e que acabam ganhando a mídia.

Com o advento da internet, tenho acompanhado nos últimos anos um crescimento exponencial no uso desse termo, e cada vez mais conteúdo mostrando atos de bondade, projetos que visam melhorar o mundo, enfim, diversas frentes de trabalho que nos fazem recuperar as esperanças de um mundo melhor.

Se mesmo com a postura de fazer o bem discretamente, chegamos a tantos conteúdos documentados, imaginemos quantos atos de bondade acontecem em torno do mundo diariamente e ficam totalmente ocultos do conhecimento geral!

É por isso que podemos dizer claramente: não há mais mal do que bem, no mundo, pelo contrário, há mais bem do que mal. E mesmo o bem sendo silencioso, existem muitos casos documentados, que dirá então daqueles que nem chegam a conhecimento público.

Para quem tiver mais interesse nos termos "fé na humanidade restaurada" ou "faith in humanity restored", basta lançá-los no Google ou no Youtube para ter acesso a vários registros.

Deixo alguns links para ilustrar ao post:

(Em português) http://awebic.com/pessoas/73-momentos-que-irao-restaurar-definitivamente-sua-fe-na-humanidade-o-58-e-epico/

(Em inglês) http://faithinhumanityr.tumblr.com/

(Em inglês) https://www.youtube.com/user/RealLifeHeroesTV/videos

(Em inglês) https://www.youtube.com/user/AwesomeGlobe/videos




Leitura complementar:

Evangelho Segundo o Espiritismo - Fazer o bem sem ostentação (link)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Deixe seu comentário acerca do post acima.